Luiz de Godoy – Maestro mogiano rege orquestras pela Europa há dez anos

Ele tem 31 anos, nascido e criado na cidade de Mogi das Cruzes e estudou em escola pública. Desde cedo, seguiu o seu caminho com a luz do seu coração. Quando criança, já sabia intuitivamente, que na música estaria o seu futuro.  A música poeticamente falando, pode chegar a qualquer lugar do planeta, através do som que emite, e o Luís Guilherme não fez diferente, embarcou na frequência clássica e foi para Áustria, berço do estilo musical, antigo e tão atual ao mesmo tempo. Chega a ser um tanto paradoxo, a contramão do comum.  Colocar contra pontos, justamente para que haja uma aproximação dos fatos, à nossa rotina.  

Tanto se fala em propósito, em se fazer algo nos faça sentido, de modo que seja bom à outras pessoas, para nos trazer vitalidade. E não discordo!  Apenas me entristeço em demorarmos tanto para “achar” esse vento que nos leva à tão sonhada felicidade. Damos uma volta gigante, para provar aos outros e depois nos provar que somos capazes de realizar o caminho escolhido, e quando o fazemos, não entendemos o porquê não sentimos satisfação.  

Se houver insistência, chega o momento da redescoberta: o tempo todo, sabíamos o caminho, conhecíamos o sonho e finalmente damos voz ao que a criança interior, a vida toda nos falou.   

Muitas vezes não assumimos para nós mesmos, que somos sim, capazes de trilhar na grandeza dos nossos sonhos. Limitamo-nos a nos enquadrar em situações menores, entramos num ciclo vicioso e pra sair de lá, ah, meu amigo, só assistindo muito o Mogi Terra do Caqui, pra perceber que o mundo tá cheio de inspirações e pessoas dispostas a andar na contramão da multidão, por terem coragem de seguir o coração. Lembrando que, seguir o coração, em nada tem a ver com emoções desenfreadas e impulsivas. Ouvir o coração é ouvir a sua alma!  

Voltando aqui, rs o Luiz, estudou piano na Escola Municipal de Música de São Paulo e chegou na Europa já como maestro, em 2009. Lá, ele passou por diversas cidades e por outros países fora do continente. 

Em constante aprendizado, dez anos depois, pela Academia de Viena, uma das Universidades mais respeitadas no quesito música, ele tirou notas máximas em todas as avaliações, e então lhe foi conferido o título de “Magister Artium-summa cum laude”, uma exceção a apenas os melhores alunos, de todos, do mundo todo, que passam por lá.  

Você que me conhece, pode imaginar o quanto fiquei emocionada quando vi sobre sua vinda à Mogi, e ainda mais quando recebi um “sim” prontamente quando o convidei para uma entrevista aqui para o blog.  

A Terra do Caqui, é uma cidade privilegiada, possui em sua história, pessoas como Luiz, que espalha pelo mundo a destreza de sua força sem deixar de ser humilde. Pois foi pensando em retribuir ao mundo, o aprendizado que recebeu, que decidiu ir além, para se ternar maestro e ensinar e passar a diante a sua bagagem.  

Tivemos um bate-papo “super-hiper-ultra-mega” reflexivo, palavras e pensamentos dignos de quem chegou onde chegou não por critérios de importância, mas principalmente, mostrar que, ouvir o próprio coração é uma arte capaz de fazer coisas fantásticas com o ser humano e seu meio.  

Minhas conclusões para tudo isso: 

“Não há artista que não tenha conhecendo a felicidade.” 


Gratidão Luiz, por compartilhar este momento e permitir que outras pessoas conheçam sua história! 

Mais detalhes, aliás, muito mais detalhes, você confere no vídeo! 

Ah, compartilha com os seus amigos, quanto mais pessoas conhecerem, mais pessoas inspiradas vamos ter por aí.  

  Redes Sociais 

#mogiterradocaqui #cultura #arte #musicaclassica #europa #austria #viena #luizdegodoy #mogidascruzes