Qual história será contada sobre o “hoje”, daqui a 50 anos?
Ou melhor, quem vai escrever!?